segunda-feira, agosto 01, 2016

Teste PDS Doce de Leite.














A primeira lembrança que tenho de doce de leite é que, quando criança, minha tia cozinhava latas de leite condensado para transformar no recheio do bolos de aniversário. Era incrível vê-la colocar em uma panela de pressão um doce que também tem um grande significado para mim - e acredito que para grande maioria dos brasileiros -, e, que depois sairia algo tão bom quanto. De repente posso estar errado, mas comida de uma forma geral tem um “Q” de nostalgia, quando provamos algo nunca experimentamos antes, tendemos de maneira automática, buscar na memória por algo de sabor semelhante. E digo, que para mim - isso é algo bem pessoal - quando penso em sabor, textura e cor de um doce de leite, tenho como base o que me foi ensinado em casa.
Quando falamos de doce de leite de forma mais ampla, temos como principais referências os países da América Latina, onde, encontram-se variedades do doce com nomes diversos. Mas não se tem uma origem certa para o produto.
Quer seja pastoso, sólido, mole (manipulado ou em formas) ou duro (cortado em tabletes), a receita básica dos doces de leite é sempre a mesma: o leite é fervido com açúcar até que fique espesso e caramelizado. Logo, podemos afirmar que todos são iguais?! Não, existem pequenas peculiaridades que se destacam quando são observadas mais atentamente, mas os consumidores procuram sempre o produto com o qual estão familiarizados, não considerando outros tipos de doces como autênticos. Nas produções industriais locais e ainda mais nas produções artesanais - alguns se auto intitulam gourmet -, os diferentes doces de leite latino-americanos têm seu sabor particular: de cada país, cada região, cada localidade.





 Bom de Qualquer Jeito. 


Então seja o seu doce favorito nacional ou estrangeiro ele tem toda uma história trazida consigo, o importante é ter essa delícia em casa! 






Depois destas considerações, vamos para o que interessa - hora de comer, rsrsrs. Esse mês escolhemos cinco marcas de doce de leite e realizamos o nosso Teste PDS. Como sempre, fizemos um teste às cegas, tendo como os quesitos de avaliação cor, textura, sabor e aroma. Então se você é um admirador do doce, vai para você este post.

Espero que gostem!




Itambé: Na composição contém leite integral e/ou leite em pó integral, açúcar bicarbonato de sódio, cloreto de sódio e lactose. Na embalagem informam o cuidado que alérgicos devem ter por conter leite e derivados de soja. Com uma textura aerada – talvez por conter leite em pó -, é muito pastoso chegando a ser opaco. Sabor muito doce e enjoativo. Ficou em último lugar no teste. Custou R$ 7,79 no Supermercado Vianense, 395g. Kcal 65, Sódio 33mg, Não Contém Glúten.

Qualitá: Na composição contém leite, açúcar glicose de milho, amido de milho modificado e conservador. Na embalagem informam o cuidado que alérgicos devem ter por conter leite e podendo conter trigo e amendoim. Aroma artificial, cor clara demais, textura pastosa claramente espessado com a glicose e, sabor enjoativo. Na prova não agradou tanto ficando 3° colocação. Custou R$ 11,90 no Supermercado Extra, 410g. Kcal 61, Sódio 41mg, Não Contém Glúten.

Elegê: Na composição contém Leite integral, açúcar, soro de leite em pó, xarope de glicose, amido de milho, conservador (sorbato de potássio), bicarbonato de sódio, enzima lactase e aroma sintético idêntico ao natural de baunilha. Cor caramelo, aroma suave e sabor baunilhado, de consistência cremosa. Chegou perto dos tradicionais - características subjetivas -, ótimos para comer de colher. No fim, acabou empatando com a marca Viçosa garantindo a 2° colocação. Custou R$ 6,29 no Supermercado Extra, 400g. Kcal 60, Sódio 24mg, Não Contém Glúten.

Viçosa: Na composição contém Leite padronizado, açúcar, bicarbonato de sódio e conservador de potássio. Com textura cremosa, coloração caramelo-escuro - lembrando chocolate -, com sabor leve, porém bem doce. Para receitas em que o recheio merece um destaque, é o ideal. Garantindo a segunda colocação juntamente com a Elegê, cada qual com suas características principais. Custou R$ 13,90 no Supermercado Vianense, 400g. Kcal 72, Sódio 25mg, Não Contém Glúten.

Frimesa: Na composição contém Leite pasteurizado padronizado e/ou leite em pó reconstituído, açúcar, enzima betagalactosidase* e conservador: sorbato de potássio. Aroma suave e de textura pastosa, com cor caramelo e sabor em boca que nos trouxe a lembrança de doce de leite “original”, mas uma vez afirmo que isso é algo subjetivo. Foi o destaque da prova ficando em primeiro lugar – para surpresa do grupo. Custou R$ 5,15 no Supermercado Smart, 400g. Kcal 69, Sódio 38mg, Não Contém Glúten.



*A enzima 'beta'-galactosidase é a responsável pela hidrólise da lactose em glicose e galactose. Na ausência de 'beta'-galactosidase, a lactose, açúcar predominante no leite, não é digerida, causando aumento na pressão osmótica dentro do intestino delgado e conseqüentes sintomas de dor abdominal, diarréia e flatulência.








Não esqueçam de comentar e compartilhar nas redes sociais, isso faz uma grande diferença!
Até a próxima. 
Meu email: alanalves_19@hotmail.com
Instagram: @pdsblog

segunda-feira, julho 25, 2016

Projeto Detox!















100 sucos detox para uma vida saudável, Detox, a solução que faltava!  Engraçado como as pessoas precisam de algo para se apegar quando o assunto é vida saudável, sempre será mais fácil recorrer a "fórmulas mágicas" oferecidas por sabe lá quem, do que o método tradicional que, é alimentação mais saudável e atividades físicas. A Ideia  de poder compensar a farra das calorias com uma breve mudança na rotina alimentar e o principal atrativo do variado leque de produtos e práticas que prometem limpar o organismo sob o mesmo rótulo: detox. Supermercados com prateleiras abarrotadas de sucos que se dizem detox e ser a solução para a vida saudável engarrafada. Mais até onde isso pode ser verdade?


Em uma matéria publicada pela revista Super Interessante sobre o quanto é verdade de tudo o que é oferecido por aí, fiquei abismado com o que li e resolvi compartilhar com vocês.









DETOX




A argumentação usada até pode fazer sentido para alguns que estão atrás de uma vida mais saudável. Mas, quando o assunto é ciência, a promessa de detoxificação não passa de um mito. Mas por que chamar  um suco de legumes, frutas, sementes e outros ingredientes de detox? Essa é a briga de alguns especialistas, que defendem que um suco não vai ajudar o seu corpo a se desintoxicar. Nutróloga e gastróloga, Liliane Oppermann relativiza. Para ela, esse tipo de afirmação não traz nenhum benefício, pelo contrário: dá a ideia de que todo mundo pode comer a porcaria que quiser que, depois o corpo vai dar um jeito de se livrar das toxinas. Mas ela também não quer que você pense que dá para consertar qualquer orgia gastronômica com suco de couve e limão. 


A lógica das desintoxicações é a de antídoto. Para cada toxina, é preciso saber a substância que pode ser receitada para eliminá-la ou neutralizá-la. Se um paciente chega a um hospital com overdose de paracetamol, por exemplo, será medicado com N-acetilcisteína. "Esse é um mecanismo detox conhecido, formulado e estudado", diz Raymundo Paraná, professor titular de gastro-hepatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Ou seja,  o detox até é possível, mas só se você sabe exatamente qual toxina quer tirar do corpo e qual substância mais adequada para isso, e, com certeza, jamais será um suco de couve com água de coco e gengibre.

A crença de que o nosso corpo tenha estoques genéricos de toxinas originadas pelos alimentos é contestada pelo professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná e membro da sociedade brasileira de endocrinologia e Metabologia (SBEM) Henrique Suplicy. "Nós temos mecanismos que jogam substâncias nocivas fora", diz.

O sistema funciona tanto para quem mantém uma dieta saudável quanto para quem exagera na comida e na bebida.  Não importa o quanto você coma, o seu metabolismo vai processar os alimentos, sempre separando o bom do ruim. As comidas geralmente carregam as toxinas mais simples, que, na maior parte dos casos, tendem a ser eliminadas nas fezes e urina. 




CÁPSULAS DETOX.




O efeito sanfona acontece porque, para emagrecer com segurança e sem comprometer a saúde, é preciso uma reeducação alimentar, que dá muito mais trabalho do que tomar uma pílula por dia. É verdade que você pode perder peso com elas, mas, junto, perderá água e músculos, não gordura. A consequência disto é que, parando de tomá-las, poderá engordar novamente. 



Detox ou Placebo?




O professor de farmacologia da Unicamp e da USP Gilberto de Nucci testou dez produtos em forma de cápsulas, comprimidos, pó para preparos de sucos e shakes que prometem a detoxificação do organismo.  O objetivo era verificar se havia algum tipo de contaminante na composição. Pelo menos 20% dos suplementos alimentares vendidos no mercado brasileiro têm algum tipo de contaminante - como diuréticos e inibidores de fome -, segundo estimativas dos médicos que participaram do 29° Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia em 2010.
Não foram encontrados nenhum tipo de contaminantes durante os testes, mas  concluíram que a concentração de vitaminas e minerais presentes nas cápsulas são ínfimas. Traduzindo, não causariam nenhum tipo de benefício ou prejuízo ao organismo, nem ajudariam no emagrecimento. 





Logo, ao achar que se está melhor com a ingestão destas pílulas, trata-se nada mais que o efeito placebo*.




Placebo: é um fármaco, terapia ou procedimento inerte, que apresenta, no entanto, efeitos terapêuticos devido aos efeitos psicológicos da crença do paciente de que ele está a ser tratado.



Fonte: Revista Super Interessante.

Não esqueçam de comentar e compartilhar nas redes sociais, isso faz uma grande diferença!
Até a próxima. 
Meu email: alanalves_19@hotmail.com
Instagram: @pdsblog

sábado, julho 16, 2016

Foodbloggers: A Série. #5 Menu Criativo.













Conheci a Ana pelo Facebook, através de um grupo de blogueiros de comida – que tenho muito orgulho de poder participar. Quando comentei com ela sobre a minha iniciativa de contar histórias de blogueiros que eu conhecia, logo me apoiou e se disponibilizou a me ajudar, chegando até a sugerir novas ideias para que o conteúdo ficasse mais legal e mais profundo, fazendo com que eu e outras pessoas que fossem ler, pudéssemos nos sentir “conectados” com o texto. Tenho o prazer de ter hoje no meu espaço, Menu Criativo.