segunda-feira, julho 25, 2016

Projeto Detox!















100 sucos detox para uma vida saudável, Detox, a solução que faltava!  Engraçado como as pessoas precisam de algo para se apegar quando o assunto é vida saudável, sempre será mais fácil recorrer a "fórmulas mágicas" oferecidas por sabe lá quem, do que o método tradicional que, é alimentação mais saudável e atividades físicas. A Ideia  de poder compensar a farra das calorias com uma breve mudança na rotina alimentar e o principal atrativo do variado leque de produtos e práticas que prometem limpar o organismo sob o mesmo rótulo: detox. Supermercados com prateleiras abarrotadas de sucos que se dizem detox e ser a solução para a vida saudável engarrafada. Mais até onde isso pode ser verdade?


Em uma matéria publicada pela revista Super Interessante sobre o quanto é verdade de tudo o que é oferecido por aí, fiquei abismado com o que li e resolvi compartilhar com vocês.









DETOX




A argumentação usada até pode fazer sentido para alguns que estão atrás de uma vida mais saudável. Mas, quando o assunto é ciência, a promessa de detoxificação não passa de um mito. Mas por que chamar  um suco de legumes, frutas, sementes e outros ingredientes de detox? Essa é a briga de alguns especialistas, que defendem que um suco não vai ajudar o seu corpo a se desintoxicar. Nutróloga e gastróloga, Liliane Oppermann relativiza. Para ela, esse tipo de afirmação não traz nenhum benefício, pelo contrário: dá a ideia de que todo mundo pode comer a porcaria que quiser que, depois o corpo vai dar um jeito de se livrar das toxinas. Mas ela também não quer que você pense que dá para consertar qualquer orgia gastronômica com suco de couve e limão. 


A lógica das desintoxicações é a de antídoto. Para cada toxina, é preciso saber a substância que pode ser receitada para eliminá-la ou neutralizá-la. Se um paciente chega a um hospital com overdose de paracetamol, por exemplo, será medicado com N-acetilcisteína. "Esse é um mecanismo detox conhecido, formulado e estudado", diz Raymundo Paraná, professor titular de gastro-hepatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Ou seja,  o detox até é possível, mas só se você sabe exatamente qual toxina quer tirar do corpo e qual substância mais adequada para isso, e, com certeza, jamais será um suco de couve com água de coco e gengibre.

A crença de que o nosso corpo tenha estoques genéricos de toxinas originadas pelos alimentos é contestada pelo professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná e membro da sociedade brasileira de endocrinologia e Metabologia (SBEM) Henrique Suplicy. "Nós temos mecanismos que jogam substâncias nocivas fora", diz.

O sistema funciona tanto para quem mantém uma dieta saudável quanto para quem exagera na comida e na bebida.  Não importa o quanto você coma, o seu metabolismo vai processar os alimentos, sempre separando o bom do ruim. As comidas geralmente carregam as toxinas mais simples, que, na maior parte dos casos, tendem a ser eliminadas nas fezes e urina. 




CÁPSULAS DETOX.




O efeito sanfona acontece porque, para emagrecer com segurança e sem comprometer a saúde, é preciso uma reeducação alimentar, que dá muito mais trabalho do que tomar uma pílula por dia. É verdade que você pode perder peso com elas, mas, junto, perderá água e músculos, não gordura. A consequência disto é que, parando de tomá-las, poderá engordar novamente. 



Detox ou Placebo?




O professor de farmacologia da Unicamp e da USP Gilberto de Nucci testou dez produtos em forma de cápsulas, comprimidos, pó para preparos de sucos e shakes que prometem a detoxificação do organismo.  O objetivo era verificar se havia algum tipo de contaminante na composição. Pelo menos 20% dos suplementos alimentares vendidos no mercado brasileiro têm algum tipo de contaminante - como diuréticos e inibidores de fome -, segundo estimativas dos médicos que participaram do 29° Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia em 2010.
Não foram encontrados nenhum tipo de contaminantes durante os testes, mas  concluíram que a concentração de vitaminas e minerais presentes nas cápsulas são ínfimas. Traduzindo, não causariam nenhum tipo de benefício ou prejuízo ao organismo, nem ajudariam no emagrecimento. 





Logo, ao achar que se está melhor com a ingestão destas pílulas, trata-se nada mais que o efeito placebo*.




Placebo: é um fármaco, terapia ou procedimento inerte, que apresenta, no entanto, efeitos terapêuticos devido aos efeitos psicológicos da crença do paciente de que ele está a ser tratado.



Fonte: Revista Super Interessante.

Não esqueçam de comentar e compartilhar nas redes sociais, isso faz uma grande diferença!
Até a próxima. 
Meu email: alanalves_19@hotmail.com
Instagram: @pdsblog

sábado, julho 16, 2016

Foodbloggers: A Série. #5 Menu Criativo.













Conheci a Ana pelo Facebook, através de um grupo de blogueiros de comida – que tenho muito orgulho de poder participar. Quando comentei com ela sobre a minha iniciativa de contar histórias de blogueiros que eu conhecia, logo me apoiou e se disponibilizou a me ajudar, chegando até a sugerir novas ideias para que o conteúdo ficasse mais legal e mais profundo, fazendo com que eu e outras pessoas que fossem ler, pudéssemos nos sentir “conectados” com o texto. Tenho o prazer de ter hoje no meu espaço, Menu Criativo.





domingo, junho 12, 2016

As 1001 Comidas #6













Algum tempo atrás eu tive a oportunidade de adquirir um exemplar de um livro chamado “1001 Comidas Para Comer Antes De Morrer”, e digo que vale a pena para os curiosos como eu.
Pensando nisso resolvi trazer uma série que chamarei "As 1001 comidas", onde trarei todo mês dois alimentos  conhecidos ou não em nossas terras e do mundo a fora.
Convido a você a fazer parte desse desbravamento cultural e gastronômico. 

Logo, se o que for postado tiver algum significado para você, deixe sua colaboração contando sua história nos comentários e assim agregará muito valor e conhecimento para todos nós.